Águeda, Aveiro, 20 de Julho de 2024

BE pede explicação ao Ministério da Saúde sobre deslocalização de médicos

25 de Agosto 2020

O Bloco de Esquerda através dos deputados eleitos por Aveiro (Nelson Peralta e Moisés Ferreira) questiona o Ministério da Saúde sobre a deslocalização de médicos no centro hospitalar do Baixo Vouga (CHBV).

A missiva agora enviada ao Parlamento pede esclarecimentos sobre o encerramento parcial do Serviço de Urgência do Hospital Distrital de Águeda, na noite de sábado,22 agosto e à retirada de um médico do Serviço de Urgência de Águeda para prestar serviço em Aveiro.

Os deputados querem saber se o Ministério da Saúde teve conhecimento da situação.Qual foi o motivo para que fosse dada ordem de deslocalização dos profissionais médicos, durante a noite de 22 de agosto e que medidas estão a ser tomadas para garantir que o Serviço de Urgência do Hospital não volta a ser impedido de funcionar em pleno.

O BE lembra o Governo que “o Serviço de Urgência aguedense ficou impedido de receber pacientes que necessitassem de cuidados de saúde urgentes, sendo estes reencaminhados para o serviço da capital de distrito.Segundo a informação transmitida ao Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda, o Serviço de Urgência em Águeda só não encerrou mesmo as portas porque um dos médicos se recusou a abandonar o hospital”.

“O Bloco de Esquerda sabe que a gestão das escalas médicas para os próximos dias está a colocar em causa a prestação de cuidados de saúde urgentes, pois este factor soma-se à reconhecida escassez de profissionais e à pressão extraordinária causada pelo maior fluxo de pessoas que tipicamente se sente no distrito, nesta altura do ano”.

Entre duas fases da pandemia da Covid-19, com profissionais em descanso, o Bloco de Esquerda diz que é necessário reforçar os meios e “garantir um número suficiente de profissionais da área da saúde”.

 


Todos os direitos reservados • Rádio Soberania - Águeda

Rua José Sucena nº120, 3º andar Águeda, Aveiro, Portugal

Powered by DIGITAL RM