Águeda, Aveiro, 25 de Fevereiro de 2024

Câmara Municipal de Aveiro e Veolia avançam com desinfeção de espaços públicos

19 de Março 2020

A Câmara Municipal de Aveiro e Veolia avançam com desinfeção de espaços públicos e alertam os cidadãos para os cuidados a ter com a deposição de resíduos durante a Pandemia do coronavírus.

Todos os serviços prestados pela Veolia Portugal estão a ser mantidos, e alguns intensificados, com exceção do controlo de ervas infestantes (corte mecânico e aplicação de herbicida) que, desde o dia 16 de Março, foi temporariamente substituído por desinfeção da via pública junto ao Hospital, Centro de Saúde, Extensões de Saúde e USF’s de todo o Município, Mercados Municipais, Escolas, Tribunal, Serviços Públicos, entre outros, bem como desinfeção de mobiliário urbano (papeleiras, contentores do lixo, bancos de jardim).

Estando nesta fase mais pessoas dispensadas do trabalho, a fazer guarda de filhos ou a trabalhar a partir de casa, a produção de monos (objetos domésticos fora de uso), de resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE) e resíduos verdes, tem vindo a aumentar.O cidadão deve fazer o pedido de agendamento para a sua recolha,até à véspera do dia de recolha, junto da Veolia Portugal, através do email aveiro@veolia.com ou do telefone 234.127.942. A recolha de monos efetua-se às quartas-feiras e quintas-feiras. A recolha de resíduos verdes efetua-se às terças-feiras, de novembro a abril, e às segundas-feiras e terças-feiras, de maio a outubro.

A Autarquia recorda que é proibida a colocação de sacos do lixo fora dos equipamentos de deposição de resíduos, bem como a sua deposição na via pública porta-a-porta, como frequentemente acontece, por exemplo, na Avenida Dr. Lourenço Peixinho, Bairro da Beira Mar, etc, devendo cada Munícipe proceder à colocação dos seus sacos do lixo dentro do contentor mais próximo.

O Ministério do Ambiente e da Ação Climática, através da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e da Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos (ERSAR), publicou, no dia 17 de março, um conjunto de orientações e recomendações para a gestão de resíduos na situação de pandemia associada à COVID-19. Em consequência, foram ainda tomadas as seguintes medidas de precaução pela Veolia Portugal e pela ERSUC:

1. Utilização pelos trabalhadores de EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual) tais como máscaras, luvas e desinfetantes e higienização frequente dos EPI’s;

2. Aumento da frequência de higienização dos contentores e papeleiras;

3. Aumento da frequência de higienização das viaturas de recolha de resíduos urbanos por dentro e por fora;

4. Constituição de equipas para limpeza e remoção de resíduos depositados fora dos contentores;

5. Evitar prejudicar a frequência de recolha dos resíduos indiferenciados, intensificando-a sempre que possível;

6. Suspensão da recolha seletiva porta-a-porta nos consumidores não-domésticos. Estes deverão depositar os seus resíduos seletivos nos ecopontos, que continuarão a ser recolhidos com regularidade;

7. Deposição direta dos resíduos urbanos, sem qualquer triagem prévia, no aterro sanitário (para não se romper os sacos e haver contaminações);

8. Aumento da frequência de cobertura dos resíduos em aterro sanitário.

 

Na situação de se estar perante caso(s) suspeito(s) ou confirmado(s) de infeção por COVID-19 em tratamento no domicílio, todos os resíduos produzidos pelo(s) doente(s) e por quem lhe(s) prestar assistência devem ser colocados em sacos de lixo resistentes e descartáveis, com enchimento até 2/3 (dois terços) da sua capacidade.

Os sacos devidamente fechados devem ser colocados dentro de um 2º saco, devidamente fechado, e ser depositado no contentor de resíduos indiferenciados.

As máscaras, luvas e lenços usados devem ser sempre colocados no contentor do lixo comum.

 

Na situação de se estar perante caso(s) suspeito(s) ou confirmado(s) de infeção por SARS-CoV-2 (COVID-19) em empresas, hotéis e outros alojamentos, portos e aeroportos, os resíduos produzidos pelo(s) cliente(s) e por quem lhe(s) tenha prestado assistência são equiparados a resíduos hospitalares de risco biológico (grupo III), devendo a sua gestão ser assegurada como tal.

Ou seja, os resíduos devem ser acondicionados num primeiro saco plástico resistente, colocado em contentor com abertura não manual e com tampa. Quando o saco estiver cheio (enchimento máximo até 2/3 (dois terços) da sua capacidade), deve ser bem fechado, e depositado num 2.º saco.

Os resíduos devem ser mantidos segregados e ser encaminhados para operador licenciado para a gestão de resíduos hospitalares com risco biológico, sob responsabilidade do órgão de gestão da empresa, alojamentos, portos ou aeroportos.

“Apelamos aos Munícipes que adotem cuidados reforçados no acondicionamento dos seus resíduos urbanos, dando o seu contributo por forma a não agravarmos a saúde pública no nosso Município de Aveiro”reforça a Autarquia.

 


Todos os direitos reservados • Rádio Soberania - Águeda

Rua José Sucena nº120, 3º andar Águeda, Aveiro, Portugal

Powered by DIGITAL RM